Plano de Monitoramento da Biodiversidade - Parque Nacional das Emas e Entorno

 O objetivo do Projeto de Monitoramento do Parque Nacional das Emas (PNE)1 é obter e disseminar informações científicas sobre a biodiversidade,  subsidiando ações de monitoramento de diversos componentes da fauna e flora, em várias escalas, tendo a participação de pesquisadores de diversas áres e assim estabelecendo uma rede de compartilhamento de dados gerando informaçoes para ações   de manejo da biodiversidade.

A Proposta de monitoramento em parcelas

No Parque Nacional das Emas utilizamos a metodologia TEAM, proposta pela Conservação Internacional do Brasil, que é aplicada em vários locais do mundo.
Foram instaladas em locais estratégicos do Parque com a ajuda de uma Estação Total, duas parcelas permanentes, onde os pesquisadores realizam seus estudos, coletando dados de uma maneira que permita a comparação dos resultados.

Ações e Resultados

• Obtenção de dados preliminares da herpetofauna, avifauna, fauna de insetos e da vegetação do entorno do PNE;
• Mobilização de parcerias com instituições de ensino e pesquisa, ONGs, empresas privadas e órgãos ambientais do Setor Público: IBAMA2, FUNAPE3, CI4, UFG5, UEG6 e FIMES7;
• Mosaico das parcelas, com a utilização do aerolevantamento;
• Aquisição de uma infra-estrutura de apoio aos pesquisadores: veículo, barraca, combustível, apoio em geoprocessamento, equipamentos de campo;
• Criação de uma rede entre as instituições para dar continuidade ao Monitoramento das parcelas no PNE aprovada pela FAPEG

Oportunidades e Benefícios do Monitoramento

• Avaliar o estado, as variações e tendências da diversidade biológica na UC;
• Subsidiar as ações de manejo na unidade;
• Avaliar o grau de proteção da biodiversidade no PNE  e em seu entorno;
• Dar suporte a gestão das mesmas, auxiliando a definição de políticas públicas e especificas para a unidade;
• Subsidiar pesquisas em áreas temáticas da biodiversidade;
• Apoio e incentivo ao desenvolvimento de pesquisas, como bolsas de estudos;
• Disseminar o conhecimento para diferentes segmentos da sociedade;
• Gerar informações para os programas de educação ambiental e uso público;
• Identificar a entrada de espécies invasoras;